sábado, 1 de agosto de 2009

Minha virgem intocável

-->
Tu que se escondes
Dentre os véus da noite
Fazes o meu coração bater mais forte
Desesperado por não saber onde estás
Você que não revela as tuas faces
Não demonstras seus sentimentos
E me faz sofrer cada vez mais
Você que me testas a cada momento
Faz da minha vida um tormento
E me confunde
Confunde o meu ser
Confunde a minha vida,
Me confunde e só.
Sofro desesperado em não saber como te conquistar
Por que dizes não?
Por que ao mesmo tempo que me desprezas
Me procuras?
Se as relvas dissessem
E os pingos da chuva gritassem
Traduziriam o que sinto por você.
Se as noites falassem
E o sol iluminasse seus pensamentos
Saberia o que tu pensas.
Como psicólogo procuro te entender
Não dá
Como homem me perco tentando te odiar
Não consigo
Como tua família tento te apoiar
Mas dificultas
Como te entender?
Como tê-la?
Digo adeus pois não agüento mais sofrer
Sou surpreendido com tua reação inesperada neste momento
Tu dizes que me ama e não vive sem mim
Fico confuso por não saber o que pensar
Não sei se vivo este grande amor
Ou deixo esta primavera passar
Mas estou decidido que tu nasceste para mim
E eu nasci só pra te amar.

Este poema é de autoria minha, Alessandro William, e de uma grande amiga e colega, Gleice S. Novaes.

8 comentários:

  1. e eu lembro deste poema!
    quando declamaste na sala, os colegas e a pro ficou boquiabertos :) eu tbm

    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Palmas para vocês!
    Muito liindo o poema eo blog tbm :)
    Ah, obrigada pelo comentário no meu blog,
    espero que tenhas gostado e volte sempre que quizer!

    Beeijo!

    ResponderExcluir
  3. Muito Lindo o poema brother, tu escreves de mais..!

    Parabéns Abração !

    ResponderExcluir
  4. Olá Alessandro! Obrigada por sua visita! Parabéns pelo blog! Você está estudando prá ser fisioterapeuta, mas tem futuro também como escritor! Bjks Tetê

    ResponderExcluir
  5. Ola Alessandro,

    vim te conhecer, vim agradecer teus comentários, e me surpreendi com teus belos poemas...parece-me como a você impossível compreender os tais jogos de amor...
    alías odeio jogos de amor...
    para mim é muito simples, ou se gosta, se é retribuído no sentimento e ambos podem ser feliz, ou então é mellhor deixar passar, porque so amor merece nosso tempo e nossas palavras, e como saber? simples...
    Se não te faz feliz, não pode ser amor...
    Beijo para você!

    ResponderExcluir
  6. Oi! Obrigada por mais essa visita!

    ResponderExcluir
  7. Muito bonito, parabéns aos dois.

    ResponderExcluir
  8. Oi, Alessandro!
    Desculpa demorar pra conhecer seu blog, mas vixe!, visitar todo mundo leva um tempão! Obrigado por acompanhar o Blog'Arte. Faço-o pra vocês, amigos!
    E sua poesia... uau! Você deve ser fã dos poetas românticos não?! Adoro-os!
    Um abração!

    ResponderExcluir

Entrem, comentem